Muito têm se falado sobre o DevOps. Para alguns, ainda é confusa sua definição, mas para outros, é mais difícil a sua implementação. O termo surgiu em decorrência da velocidade nas mudanças na área de TI. Principalmente, no sentido de integrar áreas, agilizar processos e entregar maior qualidade nos produtos aos clientes.

A palavra em inglês, DevOps, é a junção de dois setores: desenvolvimento (development) e operações (operations). Ambos, que antes executavam suas atividades de maneira separada, devido ao modelo tradicional de TI, agora se unem para adicionar maior valor ao negócio.

Dessa maneira, o desafio se concentra em práticas que podem ajudar a tornar a DevOps uma realidade nas empresas. Agora, desenvolvedores de software e equipe de infraestrutura trabalham unidos em projetos, o que melhora o produto final. E qual seria a metodologia dessa nova comunicação? Veremos a seguir!

O Agile na prática

De fato, uma das maiores necessidades das empresas de TI é otimizar processos e entregar serviços com maior velocidade. Nesse sentido é que se apoia o DevOps, ao usar da metodologia Agile, ou ágil, na prática. As startups do Vale do Silício já vinham há tempos adotando metodologias ágeis, mas enxergavam que precisavam ir além.

A partir dessa necessidade, a DevOps surge para acelerar ainda mais a fase de desenvolvimento. A diferença está na união com infraestrutura, o que permite a desburocratização de tarefas. Além disso, ambos trabalham com entrega contínua e automatizam processos. O que acelera a empresa toda como nunca foi visto.

DevOps: O QUE É PRECISO MUDAR

É importante frisar que os gestores de TI interessados em implementar o DevOps não devem pensar na tática como um conjunto de processos automatizados. Essa é apenas uma consequência de uma mudança geral. Sendo assim, é preciso primeiro ter uma mudança de cultura.

Equipes são integradas e todos responsabilizados pela entrega e automatização. Se ao mesmo tempo se ganha soberania para opinar sobre o desenvolvimento de um software, também se ganha responsabilidade sobre ele. Assim, se cria um ambiente de empatia pelo trabalho de todos e outros benefícios que veremos a seguir!

SIMPLIFICAÇÃO DE PROCESSOS

Um dos principais objetivos do DevOps é encurtar o caminho entre produto e entrega. Dessa forma, são simplificados os processos do desenvolvimento à operação e a empresa ganha velocidade. Consequentemente, o cliente espera menos e há maior chance de atingir um produto de qualidade. Todas essas vantagens têm total influência de equipes integradas ou até base no dimensionamento de equipes de TI, prática mais comum nas empresas que também simplifica processos.

OTIMIZAÇÃO DAS ENTREGAS

Com equipes integradas, é visível o aumento na quantidade e frequência de entrega de atualizações. Assim, seus usuários fazem uso de um sistema com menos falhas e downtimes. O que aumenta a confiança na empresa e a torna mais competitiva no mercado.

SEGURANÇA INTELIGENTE

Faz parte da metodologia do DevOps a adoção de políticas de conformidade automáticas, controle e gerenciamento das configurações. Aliás, isso é possível ao usar a infraestrutura e política como código e assim, rastrear a conformidade em escala.

OTIMIZAÇÃO DE RECURSOS

Ao alterar a cadeia de trabalho em TI, o DevOps permite que equipes sigam os mesmos protocolos, usem os mesmos canais de comunicação e até os mesmos equipamentos. Com isso, além otimizar os processos, diminuir falhas e ter uma comunicação mais eficaz, há um reuso de recursos.

Portanto, não há uma fórmula mágica sobre quais seriam as práticas definitivas do DevOps. Cabe ao gestor analisar quais estratégias devem ser iniciadas o quanto antes alinhadas ao foco da empresa. Mas, caso tenha falhas nesse processo, não se preocupe, o aprendizado faz parte dessa nova fase.

Sempre abordamos temas interessantes como esse em nosso blog. Gostaria de ser notificado sobre nosso próximo artigo? Assine nossa newsletter!

 

Referências: RunRun.it, Panorama Positivo e Computer World