Quanto mais avançamos na tecnologia, mais nos aproximamos do conceito da Internet das Coisas. Essa maior conexão entre diversos dispositivos não se dá apenas no âmbito privado, mas também no empresarial. Tamanha interconexão faz com os gestores de TI estejam em alerta para a segurança da dados da empresa. Sendo a principal estratégia colocar em prática uma gestão de riscos em TI.

Mas não é só o aumento da capilaridade do online, a concorrência empresarial aparece como outro fator que preocupa os gestores. Afinal, os aumento de invasões cibernéticas e o consequente vazamento de dados é um risco comum. Portanto, se torna importante criar uma gestão de riscos em TI que proteja amplamente todos os setores da empresa.

Além disso, a segurança digital também ganhou maior destaque devido à mudança de posicionamento de TI nas empresas. Ela já não é um setor que responde chamados técnicos, mas faz parte e atua no planejamento estratégico de crescimento do negócio. Sendo assim, os gestores procuram identificar problemas da infraestrutura, blindar a empresa de ataques e melhorar o nível de segurança dos usuários.

FATORES DECISIVOS NA GESTÃO DE RISCOS EM TI

Como qualquer gestão, a de riscos também deve ser planejada. Isso inclui verificar quais elementos impactam no dia a dia do usuário, como esses pontos estão vulneráveis e quais riscos oferecem. A começar pela infraestrutura, em que o gestor de TI deve prever riscos, mapeando como serão executados os processos e as possíveis violações de dados que eventualmente são vulneráveis.

Outro ponto é planejar a gestão de riscos em TI de modo que essa acompanhe o crescimento do negócio. Dessa forma, definir metodologias que sejam capazes de amparar a empresa no futuro. O gestor também deve considerar os recursos disponíveis, informações gerais e possíveis decisões que os colaboradores tomem que possam colocar em risco a empresa.

Em seguida, vamos abordar maneiras de otimizar a gestão de riscos em TI!

FAÇA TREINAMENTOS CONSTANTES

fator humano é o principal canal pelo qual os ataques cibernéticos acontecem. Uma simples interação com um usuário e uma contaminação de malwares pode prejudicar toda a infraestrutura corporativa. Portanto, é importante treinar os colaboradores sobre os riscos de suas ações e quais situações são uma ameaça. Assim, eles mesmos identificarão o perigo.

No entanto, a equipe de TI deve treinar constantemente os usuários já que novas técnicas de invasão surgem diariamente. Também vale alertar sobre possíveis ameaças e manter um canal para dúvidas dos colaboradores.

USE SOLUÇÕES CONFIÁVEIS

Cada vez mais o setor de TI se apoia na automatização de processos. Seja para para agilizar tarefas, obter mais dados estratégicos ou integrar setores da empresa. Muitos desses softwares usados também buscam prevenir erros e riscos. Entretanto, alguns malwares encontram brechas na segurança de algum desses softwares e conseguem invadir os dados de segurança.

Dessa maneira, é essencial que o gestor conheça bem as soluções que implementa na empresa e procure saber mais sobre o desenvolvedor. Assim como, se é disponibilizado algum suporte e se são feitas atualizações. Essas são práticas que garantem maior segurança aos dados empresariais.

CONTROLE O ACESSO

Sempre é bom lembrar dessa prática: a delimitação de acesso. Configurar quais usuários ou grupo de usuários terão acesso a quais plataformas do sistema. Além de proteger a empresa de erros mal intencionados, o gestor garante que o usuário interage apenas com o que é da sua área.

IMPLEMENTE BOAS PRÁTICAS

Toda a empresa precisa do apoio de seus colaboradores para ter um política de gestão de riscos em TI eficiente. Esse apoio deve ser promovido por meio da divulgação de boas práticas, ou seja, ações para evitar invasões indesejadas. Algumas dessas ações são a criação de senhas fortes, adoção da autenticação em duas etapas, uso de ferramentas em nuvem para compartilhar arquivos e demais técnicas.

No entanto, essas práticas não devem se limitar à equipe de TI, mas ser um método usado por toda a empresa. E para que isso seja possível, é ideal educar os usuários para que adotem as boas práticas na sua rotina de trabalho.

E você, adota outra prática na gestão de riscos de TI? Conte para a gente nos comentários!

 

Referências: Diogo Macedo