A luta entre homens e máquinas é antiga. Um dos fatos históricos mais lembrados é o ludismo, na Revolução Industrial Inglesa, em que protestos de trabalhadores resultaram em máquinas destruídas. Mais de 200 anos depois, é a Inteligência Artificial que ganha destaque, sem que o medo pela substituição tenha sido totalmente eliminada.

Entretanto, nesta nova era, mais conhecida como da informação, a inteligência artificial pretende atuar como uma aliada. Também conhecida como A.I, na sigla em inglês, ela basicamente busca maneiras de máquinas reproduzirem a habilidade humana de pensar e agir. Portanto, com os avanços computacionais, a teoria ganhou mais força.

De fato, esta é uma fase em há um interesse em fazer a A.I se desenvolver. Prova disso é a pesquisa feita pela Gartner, em que 46% dos gestores de empresas de T.I possuem planos de implementar, enquanto 4% já o fazem. A dúvida é: como?

COMO USAR A INTELIGÊNCIA ARTIFICIAL NA EMPRESA

Apesar da A.I caminhar a passos lentos, em sua maioria, ela otimiza processos e melhora a satisfação dos clientes. Com apenas essas duas variáveis, já é possível introduzir projetos de inteligência artificial na sua empresa.

Além disso, escolha começar por um projeto de baixo custo. Geralmente, são os “early adopters” que se aventuram a usar essa nova tecnologia. E, como é uma novidade, a ferramenta precisará se aperfeiçoar constantemente, até realmente começar a “aprender”.

Dessa maneira, investir em projetos desse cunho irão fornecer aprendizados para a equipe. Caso não haja cientistas de dados na empresa, o ideal é buscar empresas externas e incentivar a troca de conhecimento.

CRIAR UMA CULTURA A FAVOR DA A.I

Incentivar o aperfeiçoamento dos colaboradores está diretamente ligado com a inteligência artificial. Pois, com o surgimento de especialistas na área, fica possível o uso de ferramentas cognitivas e sua expansão na empresa. Além disso, processos otimizados geram menor custo, o que torna a inteligência artificial um atrativo para as empresas.

Nesse sentido, também entra como meta do gestor criar um ambiente de aprendizado entre a equipe. Isso significa que mesmo que cargos sejam excluídos, novos surgem e, com isso, a necessidade por habilidades de maior valor. O que traz ganhos para o colaborador tanto na ascensão de cargo como de qualificação profissional.

Outra questão é que a inteligência artificial supre as necessidades específicas de clientes. Ou seja, aquele processo repetitivo pode ser automatizado e atualizado pela equipe responsável. Como resultado, corte de despesas e um suporte especializado fica a disposição do cliente.

SOLUÇÕES TRANSPARENTES E ABERTAS

Ao usar sistemas e softwares externos para a inteligência artificial, é preciso conhecê-los com profundidade. Talvez a comodidade de ter uma sistema que dá as respostas esperadas pode permitir que ele funcione sem a devida supervisão. Por isso, saber como funciona sua lógica e fazer testes com frequência permitirão ter maior confiança nele. E isso é possível ao escolher um sistema transparente.

Já os softwares abertos são uma opção para quem tem cientistas de dados a disposição e quer um produto específico. Ou seja, as empresas que podem desenvolver e usar ferramentas cognitivas com liberdade de criação, possuem uma ótima gestão de tempo em TI.

AVALIAÇÃO DOS SISTEMAS

Montar um sistema baseado em inteligência artificial requer bastante dedicação. Um dos principais passos é a constante avaliação dos processos. Essa fase é uma das melhores formas de alcançar um sistema mais autônomo e inteligente.

Assim sendo, o profissional responsável deve dominar a análise de regressão: total capacidade da análise analítica da empresa. E ainda estar por dentro das últimas novidades da área da inteligência artificial. Uma das que mais sofre alterações a cada dia e promove soluções inovadoras.

E você, já implementou a Inteligência Artificial na sua empresa? Usou algum método especial? Deixe seu comentário!

Referências: It Forum 365, It Insigh